O meu primeiro “Ask Me Anything” (parte 2)

Como escrevi na primeira parte desta série, tive de dividir a sessão “Ask Me Anything” em múltiplos posts. Não porque tenha recebido imensas questões, mas porque as poucas que recebi merecem respostas sinceras. Prevenindo atingir dimensões que se tornassem um bloqueio a ler as respostas, decidi desta forma. Esta é a segunda questão:

Qual é o teu maior medo enquanto líder?

Rafael Ribeiro (Agile Coach/Scrum Master na Adidas)

Esta foi “fácil”. Eu tenho mesmo um grande medo em relação às minhas equipas e pessoas.

Deixa-me parafrasear o Robert Greenleaf sobre Servant Leadership:

“The servantleader is servant first… It begins with the natural feeling that one wants to serve, to serve first.”

Robert K. Greenleaf

Ser um servidor primeiro quer dizer que tens como tua primeira missão o enriquecimento da vida das tuas pessoas, criar melhores organizações, construir comunidades…

Acredito fortemente que a maior tarefa de um líder é gerar novos líderes. Claro, não te irás esquecer do resto do teu trabalho nem dos objectivos da empresa.

Isto também não quer dizer que perdes os “factor chefe”. Em alternativa irás promover uma cultura de iniciativa, de participação. O meu chefe, Rui Alves, o CEO do RUPEAL Group , fala um pouco sobre isso neste video. As pessoas tomarão iniciativa, sentir-se-ão entituladas a propor soluções e a tomar a acção. Elas irão CRESCER !

Tal como o Rui refere no vídeo, provavelmente tu até saberás qual é a solução para o problema, e sim, seria imensamente mais rápido se disseres logo como se resolver, mas lembra-te, queres que as tuas pessoas cresçam, que se tornem melhores profissionais, melhor Seres Humanos….queres criar líderes. As pessoas não aprendem a liderar se não tiverem oportunidades para pensar, procurar e tentar soluções, e também, falhar redondamente. Deixa-os falhar quando isso não coloca a empresa em risco. Será um ensinamento. Não leves esses acontecimentos para as revisões de performance. Em alternativa, revê as tentativas e se de facto se retirou ensinamentos das mesmas.

Quando comecei no meu anterior trabalho, cheguei com uma mentalidade muito direccionada para encontrar a solução, ou seja, sempre que estava com a equipa numa sala de reunião a debater sobre algum problema técnico, usualmente lançava uma solução para a mesa antes de ouvir toda a equipa.

À medida que tenho vindo a aprender mais e mais sobre servant leadership, comecei a ouvir mais, e a colocar melhores questões. Automaticamente deu dividendos. A minha anterior equipa começou a apresentar mais e melhores soluções para a mesa para se debater, e após algum tempo, um deles começou a mostrar características de liderança. Quando saí, senti que todos tinham crescido um pouco em direcção a uma versão melhorada de si próprios enquanto profissionais e, tenho esperança, uma melhor versão de si enquanto Ser Humano.

Actualmente, esse é o meu principal objectivo. Ajudar as minhas pessoas a desenvolver uma melhor versão de si próprias – profissionalmente e pessoalmente.

O meu maior medo é perder a capacidade de ajudá-los a ver e a descobrir essa versão melhorada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *