Descodificar o Ciclo do Stress

Stress, uma reacção natural que nos acompanha desde a evolução da espécie. Se em tempos esta reacção nos provou de extrema importância para a sobrevivência da espécie, actualmente é também conhecida por “o assassino silencioso“.

O que é o stress?

Todos nós reagimos ao que se passa em nosso redor. Os nossos sentidos auxiliam-nos a detectar tudo o que se passa. Nos primórdios da espécie, esta análise poderia ser a diferença entre levar comida para a gruta ou ser a comida de um qualquer predador.

Quando ouvimos, vemos, sentimos, cheiramos ou saboreamos algo, a informação sensorial é transmitida ao tálamo, que por sua vez terá a funcionalidade de distribuir a informação para as áreas apropriadas do cérebro. Nessa distribuição, alguma informação é passada à amígdala e ao neocortex.

Perante uma situação de “vida ou morte”, a amígdala reage muito mais rápido que qualquer análise lógica e racional que o neocortex faça. A amígdala irá promover a libertação de adrenalina e cortisol (as hormonas do stress), traduzindo-se num aumento do ritmo cardíaco, no aumento da pressão arterial e um boost fantástico de energia. A esta situação designou-se por “luta ou fuga” (“fight or flight”). Os nossos antepassados estariam prontos para fugir do predador ou para lutar pela sua vida. E, em bom jeito, poderemos dizer que foi quem salvou muitas vidas dos nossos antepassados.

Em 1995, o psicólogo Daniel Goleman, introduz o conceito de “sequestro emocional” (“amygdala hijacking”) para se referir a este procedimento.

Quando ocorre um sequestro emocional, temos uma reacção à emoção. As reacções geram comportamento, que na maioria das vezes não é o apropriado para a situação (nos dias de hoje). E entramos num efeito de bola de neve.

Atualmente continuamos a ter este mecanismo bem presente no nosso ADN, mas as situações de “vida ou morte” actuais, nas sociedades do chamado Primeiro Mundo, são na sua maioria simbólicas.

Utilizo a palavra “simbólica” com alguma liberdade, mas talvez o mais certo fosse substituir a palavra “morte” por “segurança”.

Neste momento é importante que pares de ler, para ponderar um pouco sobre a questão. Encontras algumas situações da tua vida onde isso tenha ocorrido? Tanto na vida familiar como na vida profissional? Convido-te a apontares num papel esses exemplos.

Agora deixo-te alguns exemplos que nos dias de hoje disparam os nossos níveis de stress: um prazo apertado no trabalho; uma conversa mais difícil com um colega ou uma chefia; uma venda crucial para a empresa; a expectativa da performance escolar de um filho; e poderia continuar durante demasiado tempo…

Mas maioritariamente não nos apercebemos disto, estamos demasiado focados na reacção, no chamado “piloto automático”.

Agora repara, se em tempos esta reacção fisiológica faria a diferença para a nossa sobrevivência, actualmente ocorre demasiadas vezes ao longo do mesmo dia. Termos um elevado ritmo cardíaco, elevada tensão arterial, sempre acelerados só nos fazem avançar mais rápido para um declínio da nossa saúde física e mental.

É por isso que o stress é conhecido como “o assassino silencioso”!

Mas como evitar o stress?

Não te sei responder a esta questão. Os momentos de stress fazem parte do nosso quotidiano desde sempre.

Penso que há uma questão mais interessante- “como se lida com o stress?”

Não sendo possível evitar o stress, é possível quebrar a cadeia que nos remete para o efeito bola de neve. Quer dizer que é possível assumir o comando do “sequestro emocional”. Mas para que tal aconteça é necessário se estar presente e atento às indicações que o nosso corpo nos fornece.

De certeza absoluta que quando estás prestes a ter um pico de stress, alguma alteração na tua fisiologia ocorre.

Práticas como Mindfulness e ou Meditação ajudam bastante neste processo de tomares autoconsciência do que está a acontecer contigo.

No meu caso, sinto logo uma contracção extrema nos trapézios e romboides. Essa é a minha deixa. Agora posso optar por quebrar o ciclo de stress. Tenho a hipótese de realizar alguma actividade física que me ajude a baixar os níveis de cortisol e adrenalina, tenho a hipótese de atribuir um significado diferente à situação, …

Experimenta, assume as rédeas !

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *